Comissão de Organização da Via Sacra pretende criar um momento de introspeção e vivência do caminho de Cristo até ao Calvário.

“Esta atividade é mobilizadora da juventude e da comunidade. É um orgulho poder trabalhar e acompanhar o crescimento deste evento”. Luís Pedroso Presidente da União de Freguesias Maximinos, Sé e Cividade.

A  Via Sacra de Maximinos é um projeto criado e promovido pela associação juvenil, Grupo de Jovens Alvorada (GJA), com a colaboração do Agrupamento de Escuteiros de Maximinos. Desde há dois anos juntou-se também a este projeto o grupo de percussão e teatro de rua Artystika.

É com encenações, cânticos e orações escolhidos ao pormenor  que é criado um verdadeiro momento de reflexão e celebração da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo.

Segundo o grande impulsionador deste projeto, o Grupo de Jovens Alvorada, tudo começou com o objetivo de envolver a paróquia de Maximinos com as atividades do grupo. Posteriormente, o projeto passou a ser de toda a paróquia, começando a fazer parte do mesmo o Agrupamento 430 de Maximinos, o grupo coral e a catequese.

Filipa Magalhães, membro do GJA, refere que todo o trabalho é compensador. Afirma que é bom sentir que a comunidade responde positivamente ao apelo da organização. Em representação do Agrupamento de Escuteiros de Maximinos, José Diogo, revela que este ano deve ser o ano de afirmação deste projeto de fé. Acrescenta ainda que “este momento do ano é de um grande espírito de sacrifício e entrega”.

O aspirante a dirigente do CNE ainda disse “para o nosso agrupamento este momento do ano é de um grande espírito de sacrifício e entrega, que procuramos incutir em todas as secções e em cada Rapaz”.

O Agrupamento 430 de Maximinos afirmou-se desde a II edição um parceiro de primeira hora da iniciativa. Segundo José Diogo “o percurso da paixão de Cristo, é o resultado da concertação de esforços entre diversos organismos da nossa comunidade, que permite tornar em mais esta edição da via sacra uma realidade.”

Por último o representante do CNE local desafiou a toda a comunidade a envolver-se naquela que considera ser a maior iniciativa catequética e cultural da freguesia de maximinos

Outra das entidades envolvidas é a Artystika. Em declarações, o presidente da associação, João Camelo, diz que “ainda é apenas a nossa terceira participação na Via Sacra de Maximinos, o que não invalida o sentimento de pertença e dedicação da nossa associação nesta iniciativa”

O presidente da associação referiu que “a via sacra é hoje uma actividade importante na construção humana de cada elemento da Artystika e cada vez mais exige de cada um de nós um maior espírito de dedicação e vivência”.

A Via Sacra tem sido também bastante acarinhada pela União de Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade. Luís Pedroso, Presidente da União de Freguesias, afirma que “A Via Sacra ao vivo de Maximinos é hoje uma referência na semana santa Bracarense, temos vindo a consolidar este momento que considero ser não só uma grande aula catequética como um momento cultural em que a juventude se oferece para dar à comunidade”. “Este é um momento que comprova que o associativismo na nossa união está vivo e que marca pela diferença no concelho”, atirou.

Luis Pedroso lembrou ainda que “o sucesso da Via Sacra deve-se em muito ao município de Braga e a uma série de mecenas e patrocinadores, porque sem eles seria impossível fazer esta caminhada”

Por último o presidente da junta reconheceu que “com a liderança e empenho de Francisco Mota, um dos fundadores da Via Sacra, que depois de dois anos afastado destas lides e que regressou o ano passado, o grupo organizador ganhou um dinamismo e uma capacidade de trabalho distinta e compete-me reconhecer e agradecer o empenho deste jovem maximinense em particular.”